sábado, 24 de dezembro de 2016

Deus se fez carne e habitou entre nós

Dia 25/12/2016:  Natal do Senhor - Missa do Dia  - Ano A (Cor Branco)


1ª Leitura: Livro do Profeta Isaías 52, 7-10

É o quarto “cântico do Servo de Javé” (cf. notas em 42,1-9; 49,1-9ª; 50,4-9). Descreve-se, agora, a paixão do Servo: ele é justo e inocente, mas sofre as consequências de uma estrutura injusta da sociedade onde vive, e por isso morre esmagado sob o peso dos erros de todos. Contudo, é através do seu aparente fracasso que o projeto de Deus vai triunfar: o Servo é glorificado e traz a salvação para todos.

Salmo: 97

Hino a realeza de Deus, celebrando sua vitória.
1-3:
A vitória de Deus se revela no seu projeto, feito para todas as nações. Trata-se de uma vitória justa, porque salva os pobres e oprimidos.
4-6:
O louvor é uma forma de revelar a realeza de Deus para o mundo inteiro.
7-9:
Essa revelação é fonte de alegria e esperança, porque em cada intervenção histórica Deus funda a justiça e o direito, implantando o seu Reino.

2ª Leitura: Carta aos Hebreus 1, 1-6


 Cristo é o centro do sermão. O trecho é o mais denso de todo Novo Testamento: Deus falou definitivamente em Jesus Cristo, o qual é a palavra viva e concreta de Deus. Tudo o que podemos falar sobre o projeto de Deus - criação, revelação e redenção - tudo encontra sua expressão definitiva em Cristo. Este é quem faz existir e salva toda criatura. Ele é igual em tudo ao Pai; e, glorificado, é muito superior ao mundo dos anjos.

Evangelho: João 1, 1-18

O Prólogo de João lembra a introdução do Gênesis (1,1-31; 2,1-4a). No começo, antes da criação, o filho de Deus já existia em Deus, voltando para o Pai: estava em Deus, como a expressão de Deus, eterna e invisível. O Filho é a imagem do Pai, e o Pai se vê totalmente no Filho, ambos num eterno diálogo e mútua comunicação.
A Palavra é a Sabedoria de Deus vislumbrada nas maravilhas do mundo e no desenrolar da história, de modo que, em todos os tempos os homens sempre tiveram e têm algum conhecimento dela. 
Jesus, Palavra de Deus, é a luz que ilumina a consciência de todo homem. Mas, para onde nos conduziria essa luz? A Bíblia toda afirma que Deus é amor e fidelidade. Levado pelo seu imenso amor e fiel às suas promessas, Deus quis introduzir os homens onde jamais teriam pensado: partilhar a própria vida e felicidade de Deus. E para isso a Palavra se fez homem e veio à sua própria casa, neste seu mundo.
A humanidade já não está condenada a caminhar cegamente, guiando-se por pequenas luzes no meio das trevas, por pequenas manifestações de Deus, mas pelo próprio Jesus, Manifestação total de Deus. Com efeito Jesus Cristo, que é a luz, veio para tornar filho de Deus todos os homens. Um só é o Filho, porém, todos podem torna-se bem mais do que filhos adotivos: nasceram de Deus.
Deus tinha dado uma lei por meio de Moisés. E todos os judeus achavam que essa lei era o maior presente de Deus. Na realidade, era bem mais o que Deus tinha reservado para todos. Porque Jesus, o Deus Filho, o verdadeiro e total Dom do Pai, é o único que pode falar de Deus Pai, porque comunica o amor e a fidelidade do Deus que dá a vida aos homens.

Edinólia Oliveira

Caros irmãos em Deus Pai, não há como expressar melhor do que as notas de cada leitura deste dia do Natal do Senhor Deus. Só podemos louvar e agradecer a Deus a presença de Jesus Cristo em nossa vida. Eu acredito que Jesus é Deus no meio de nós, como um de nós, carne, osso, sangue e sofre as mesmas dores que nós.. Mas como Deus está Nele, tem sabedoria de vida e conhecimento pleno de Deus. 
Afirmo mais uma vez, nós não podemos calcular a grandiosidade do poder de Deus, nosso Pai Criador... veio até nós para dizermos que somos iguais, que podemos ser bom e misericordioso como também Ele é bom e misericordioso. Jesus veio dizer que se matarmos nosso irmãos é a Ele que está matando e vai sofre graves consequências. No Entanto quem pode julgar o que mata é Deus. Está é uma forte afirmação do projeto de Deus em promover a paz no mundo.
Que possamos com fé e determinação seguir os ensinamentos e vida de Jesus Cristo que é Deus falando pra nós,..  Feliz Natal a todos.. grande abraço.

sábado, 17 de dezembro de 2016

Eis que uma virgem conceberá o messias

Dia 18/12/2016: 4º Domingo do Advento  - Ano A (Cor Roxo)


1ª Leitura: Livro do Profeta Isaías 7,10-14

O Reino do Norte (Efraim), cujo rei era Facéia, se aliou a Rason, rei de Aram, numa tentativa de se libertar do perigo assírio. Como o reino do Sul (Judá) não participou da coalizão entre o reino do Norte e Aram, estes dois temeram que Judá se tornasse aliado da Assíria; resolveram então  atacar o reino do Sul, para destronar o rei Acaz e colocar no seu lugar o filho de Tabeel, rei de Tiro. Acaz teme o cerco e verificas a reserva de água da cidade. Isaías vai ao seu encontro e tranquiliza, mostrando que não haverá perigo, pois continua válida a promessa de que a dinastia de Davi será perene, desde que se coloque total confiança em Javé. O sinal prometido a Acaz é o seu próprio filho, do qual a rainha (a jovem) está grávida. Esse menino  que está para nascer é o sinal de que Deus permanece no meio do seu povo (Emanuel = Deus conosco). Mt 1,23 vê na jovem a figura da Virgem Maria, e no filho, a pessoa de Jesus.

Salmo: 23(24) 1-2.3-4ab 5-6 (R. 7c. 10b)

Procissão que termina com diálogo litúrgico na porta de Jerusalém, para celebrar a conquista da cidade (cf. 2Sm 5,6-10). A presença de Javé é simbolizada pela Arca da Aliança.
1-2
Talvez um cântico durante a procissão.
3-6
Pergunta e resposta sobre as condições para entrar na cidade de Javé. Cf. Sl 15 e nota.
7-10
Diálogo diante da porta da cidade, entre a procissão que chega e um grupo que fica no alto das muralhas, representação dos jebuseus, antigos moradores da cidade.

2ª Leitura: Carta de São Paulo aos Romanos 1, 1-7

Paulo ainda não conhece os cristãos de Roma. Por isso, apresenta-se com todos os seus títulos: servo, apóstolo e escolhido. Sua missão é anunciar o Evangelho, isto é, a Boa Notícia que Deus revela ao mundo, enviando Jesus Cristo para libertar os homens e instaurar o seu Reino. O centro desse Evangelho é, portanto, a pessoa de Jesus na sua vida terrena, morte e ressurreição, que o constituem Senhor do mundo e da história. A originalidade da missão de Paulo é conduzir os pagãos à obediência da fé, ou seja, uma submissão livre, que os faz viver de acordo com a vontade de Deus, manifestada em Jesus Cristo.

Evangelho: Mateus 1,18-24

Jesus não é apenas filho da história dos homens. É o próprio filho de Deus, o Deus que está conosco. Ele inicia nova história, em que os homens serão salvos (Jesus = Deus salva) de tudo que o diminui ou destrói a vida e a liberdade (os pecados).


Edinólia Oliveira

Nós seres humanos, criaturas humanas, realmente, não sabemos a grandiosidade do poder de nosso criador. Porque é invisível ao nossos olhos humanos, mas imaginamos o seu poder criador por ser como somos, frágeis e fortes, tristes e alegres, inteligentes e burros, criativos e preguiçosos. E podemos ver a sua realeza através de tudo que existe e que é muito mais fortes que nós... e talvez até muito mais inteligentes que nós criaturas humanas: é a força da natureza viva.
Imaginamos e colocamos o nome de Deus Pai nosso criador... Javé, Todo-Poderoso, Jeová... sei lá.. Está escrito por Moisés que Ele disse: _ "Eu sou o que sou". Então podemos confiar nas Escrituras Sagradas dos Profetas e acreditar que Nosso Pai  Criador através de Jesus Cristo. O nosso messias não é Deus... Porque é criatura como nós de carne, sangue e ossos... Mas Deus estava Nele... Por isso nasceu sem o ato sexual dos humanos.. Nasceu com a força e a Glória de Nosso criador que também fez o céu e a terra.
Glorifiquemos a Deus seguindo os passos de Jesus Cristo que promove a paz e liberta os oprimidos. Precisamos entender que tipo de libertação é essa.. Conhecendo Jesus logo você entenderá...  

Muito obrigada por ter lido a minha mensagem..  

sábado, 10 de dezembro de 2016

Devemos esperar outro Messias?

Dia 11/12/2016: 3º Domingo do Advento  - Ano A (Cor Roxo ou Róseo)


1ª Leitura: Livro do Profeta Isaías 35,1-6a.10

O contraste entre este capítulo e o anterior é evidente: enquanto as potências dominadores são arrasadas, ao povo de Deus se reservam libertação, alegria e vida em abundância.

Salmo: 145

Hino de louvor, proclamando a fidelidade de Deus, que fundamenta a confiança do povo.
1-2
Uma pessoa convida a comunidade a louvar, confessando sua fé.
3-4
Exortação a não absolutizar a pessoa humana. Também os poderosos têm vida frágil e passageira.
5-6ª
O único a merecer confiança é o Deus vivo, que se aliou com o povo.
6b-10
O motivo central do louvor é a fidelidade ao Deus vivo que age na história, fazendo justiça aos oprimidos e libertando os necessitados. Sua ação, porem, implica também a destruição da justiça. É assim que se constitui o reino de Deus. Jesus fez disso o seu projeto (cf. Lc 4,16-21).

2ª Leitura: Carta de São Tiago 5, 7-10

A fé cristã está permeada de esperança de grandes transformações. Muitas vezes, depois de uma ação prolongada e constante, o cristão pode sentir-se desanimado, ao ver que essas transformações não acontecem como se esperava. Tiago faz o exemplo do agricultor: o grão, depois de plantado, não dá nenhum sinal de vida. Mas o agricultor sabe que surgirá a planta e depois os frutos. A atitude cristã deve ser a mesma: perseverante e cheia de confiança, na certeza de que tais transformações, passo a passo, se realizarão, manifestando a vinda do Senhor.

Evangelho: Mateus 11, 2-11

1-6
Será que Jesus é verdadeiramente o Messias esperado? A resposta não é dada em palavras, porque o messianismo não  é simples ideia ou teoria. É uma atividade concreta que realiza o que se espera da era messiânica: a libertação dos pobres e oprimidos.
7-15
Nenhum homem do Antigo Testamento é maior do que João Batista. Entretanto, João pertence ao Antigo Testamento, onde as profecias são anunciadas, e não o Novo Testamento onde elas já se realizaram. O v. 12 é de difícil interpretação. Provavelmente, evangelista quer mostrar que o Reino é vítima de violência, porque a velha estrutura injusta resiste para não ser destruída e reage violentamente. Essa violência dos que se opõem à vontade de Deus será experimentada pelo próprio Jesus em sua missão.

Edinólia Oliveira

Será que o mundo olha pro céu na espera de seu salvador num carro de ouro voador? O mundo espera que a paz possa acontecer em um passe de mágica? Há muitas religiões que não acreditam o que representa a morte de Jesus na Cruz... Porque o ser humano não pratica, não vive a vida como Jesus viveu... Porque não acreditar em Jesus? Porque esperar um ser extraordinário para nos libertar a corrupção, exploração e violência.. É mais fácil dizer que a religião católica é mentirosa do que viver o que Jesus viveu para ter paz e igualdade social no mundo. Reflita em tudo o que acontece no mundo ... se fosse como Jesus fez , como seria? Com certeza não teria a violência e também não teria tantas doenças... Reflita... Leia o Evangelho de Jesus.. e pense.. Será que eu devo esperar Jesus voltar de braços cruzados?  

Tiago

5
7-10
A fé cristã está permeada de esperança de grandes transformações. Muitas vezes, depois de uma ação prolongada e constante, o cristão pode sentir-se desanimado, ao ver que essas transformações não acontecem como se esperava. Tiago faz o exemplo do agricultor: o grão, depois de plantado, não dá nenhum sinal de vida. Mas o agricultor sabe que surgirá a planta e depois os frutos. A atitude cristã deve ser a mesma: perseverante e cheia de confiança, na certeza de que tais transformações, passo a passo, se realizarão, manifestando a vinda do Senhor.

sábado, 3 de dezembro de 2016

O Reino de Deus está próximo

Dia 04/12/2016: 2º Domingo do Advento  - Ano A (Cor Roxo)


1ª Leitura: Livro do Profeta Isaías 11,1-10

Isaías projeta para o reinado de Ezequias o ideal utópico de uma sociedade que chegou a realização plena (cf. 6,13; 7,14 e nota em 8,23b-9,6). Esse reinado se fundará no total espírito de Javé (sete dons) que fará surgir uma sociedade alicerçada na justiça, produzindo paz e harmonia. O Novo Testamento vê o cumprimento do oráculo da pessoa de Jesus (cf. Mt 3,16): é a partir da ação dele que se constrói o mundo novo, onde todas as coisas se reconciliam (Ef 1,10; Cl 1,20).

Salmo: 71

Oração pelo rei, lembrando a função da autoridade e desejando que o rei realize.
É função da autoridade realizar justiça e implantar o direito, para que haja paz. Mas, o que é a justiça? É defender a causa dos pobres contra os opressores. Segundo a Bíblia, portanto, o exercício da autoridade deve espelhar a ação do próprio Deus, que liberta o pobre e o fraco, derrotando seus opressores.
Quando a autoridade é justa, o povo deseja que ela permaneça para sempre e estenda sempre mais a sua ação.
O desejo se amplia para a esfera internacional: que também as autoridades de outras nações obedeçam a Deus, trazendo-lhe tributos e presentes. Para ela ficar mais rica e poderosa?  Não! Simplesmente porque ela, sendo justa, vai partilhar o poder e a riqueza, criando um reino de fraternidade, onde todos podem ter vida.
O povo abençoa a autoridade justa, porque esta coloca ao alcance de todos a abundância e a prosperidade. O v. 17 é um desejo: que a fama dessa autoridade perdure e seja bênção para todos os povos.
Pequeno hino de louvor , encerrando o segundo livro do saltério, formado pelos salmos 42 a 72. O que antes era desejado para o rei, agora é proclamado a respeito de Deus

2ª Leitura: Carta de São Paulo aos Romanos 15,4-9

O respeito e o bem do outro são o maior sinal do cristão consciente.
O acolhimento mútuo no amor é o caminho para que as mentalidades diferentes não quebrem a união da comunidade. assim fez Cristo, que acolheu judeus e pagãos num só povo. Além disso, a comunidade não deve julgar que o fato de pertencer ao povo de Deus seja privilégio que a separa dos outros; antes, é fonte de responsabilidade, pois a vocação da comunidade é acolher todos como irmãos, testemunhando assim o projeto divino de reunir todos os homens.

Evangelho: Mateus 3,1-12

João Batista convida a uma mudança radical de vida, porque já se aproxima o Reino, que vai transformar radicalmente as relações entre os homens. É o tempo do julgamento, e nada adianta ter fé teórica, pois o julgamento se baseará nas opções e atitudes concretas que cada um assume. Os fariseus, com a falsa segurança de suas observâncias religiosas, e os saduceus, com suas intrigas políticas para conservar o poder, pertencem à estrutura que vai ser superada pelo Reino.

Edinólia Oliveira

Muita gente pensa que o Reino de Deus é depois que morre, lá no céu... e olha pro alto...  Como fazer parte do Reino de Deus sem ser Cristão? É muito simples, mas para muitas nações o Reino de Deus também é a salvação depois da morte mesmo sem ser Cristão.. Mas Jesus veio dizer que o Reino de Deus está na mente, está na fé e no compromisso de espalhar para o mundo inteiro o Projeto de Salvação de Deus no qual enviou seu filho ao mundo para anunciar esse mesmo Reino... O Reino de Deus é os obedientes a sua palavra... mas não a Palavra de Moisés  manda apedrejar, não de Davi que adultera,, mas não a de um homem normal nascido da terra, mas sim de um Homem vindo de Deus.
Somos pequenos diante da grandeza da Palavra de Deus através de Jesus Cristo.E nós? Como sabemos propagar o Reino de Deus ( que muitos estão dizendo ai que é Projeto de Deus).? Acreditando nas Palavras de Jesus Cristo no Evangelho e pondo em prática.
Veja como em todas as ações políticas e religiosas vai de em contradição ao Evangelho. Você sabe como anunciar o Reino de Deus? Você  tem coragem de Anunciar o Reino de Deus como Jesus Cristo?